Posted in:

Iso na fotografia: como ele pode te salvar?

Iso na Fotografia

Primeiro vamos recapitular quais são as três formas que uma câmera tem para capturar a luz ambiente:

– Velocidade do obturador: quanto mais rápida a velocidade do obturador, menos luz entra na câmera.

– Abertura do diafragma: quanto menor a abertura do diafragma, também menos luz irá entrar na câmera.

– Iso: é o assunto que vamos abordar nesse texto.

O Iso na fotografia (sigla: International Standard Organization) nada mais é do que a sensibilidade à luz.

 

Fotografia analógica: sensibilidade da luz no filme fotográfico.

Fotografia Digital: sensibilidade no sensor da câmera.

Não vamos entrar nos méritos matemáticos, mas existe uma escala de Iso: 100, 200, 400, 800, etc, que geralmente vai até 3200, 6400, dependendo da câmera. Significa que, quanto maior o número, maior é a sensibilidade à luz.

Na fotografia analógica, os filmes fotográficos vem com uma escala única, funcionando assim na prática: se você estiver em um ambiente totalmente iluminado (uma praça com sol do meio dia), o ideal é comprar um filme com Iso 100, já que existe muita luz no local que a ser fotografado. O filme não precisa de muita sensibilidade.

Se houver pouca luz ambiente, aí será necessário comprar um outro rolo de filme, com um Iso maior.

Na fotografia digital, a sensibilidade à luz é no sensor da câmera. Se fotografamos no modo manual, conseguimos ajustar exatamente o número do Iso que queremos utilizar.

 

Qual problema do Iso na fotografia?

Se você fotografa com o Iso muito alto, a foto terá ruídos, que são aqueles “granulados” que aparecem principalmente nos pontos mais escuros da imagem. Por isso é preciso tomar cuidado. Veja o exemplo abaixo. São fotos tiradas com uma Nikon D700.

Iso 200

Iso na Fotografia

Iso 3200

 Iso na Fotografia

Iso 6400

Iso na Fotografia

Mas o Iso não é o vilão na fotografia por deixar as fotos com ruídos. Muitas vezes ele pode te salvar. Se você está fotografando em algum ambiente com pouca luz, já reduziu ao mínimo possível o tempo de exposição da foto, e já está com o diafragma aberto ao máximo, a solução mais prática é aumentar o Iso. E em diversas situações ele irá te ajudar.

Ah: e quanto melhor a câmera, mais alto você poderá utilizar o Iso sem comprometer a sua imagem. Minha primeira DSLR foi uma Nikon D3100. Depois fui trocando: D5100, D7000, D7100, e agora estou com uma D700. E nem preciso falar que o Iso nela é bem melhor do que na primeira câmera que tive.

 

Mas não se esqueça: Iso não faz milagre.

Ele é um bom recurso que temos para utilizar, mas é sempre bom lembrar que nenhuma configuração na câmera “produz”, ou “fabrica” a luz.

Os recursos disponíveis na câmera apenas tentam captar o máximo de luz que já existe no ambiente. Ou seja: se mesmo com o Iso alto a foto está pouco iluminada, o único recurso é trazer mais luz ao ambiente (seja com um flash, luz de led, etc).

Dica:

Uma excelente alternativa para não ter fotos granuladas em situações de pouca luz, é utilizar um tripé. Veja a foto abaixo que eu tirei e que não tem nenhum ruído. Fotografei com Iso 100, já que usei um tripé.

Iso Fotografia

 

 

 

 

 

 

 

Deixe o seu comentário abaixo e curta nossa página no Facebook.

Rafael, do Fotografia Mais

Escrito por Equipe Fotografia Mais

Equipe de Fotógrafos, redatores e designers responsáveis por conteúdos exclusivos e de alta qualidade sobre fotografia para o mercado brasileiro.

190 posts

2 Comments

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *