Posted in:

Obturador na Fotografia: Domine sua Câmera Fotográfica

obturador diafragma

O obturador, a abertura do diafragma e a sensibilidade ISO são os 3 pilares da fotografia que todos precisam dominar para criar imagens de qualidade!

Cada uma destas técnicas tem a capacidade de ajustar a captura de luz pelo sensor da câmera, são eles que podem mudar completamente sua foto com apenas um ajuste.

A luz é o elemento mais importante da fotografia, podemos até chamá-la de matéria-prima, já que sem ela, não tem jeito nenhum de fotografar!

O primeiro passo para dominar o uso da sua câmera e criar seu próprio estilo de fotografia, é aprender o básico e entender como ele pode te beneficiar.

Leia também “Diafragma da Câmera Fotográfica: Entenda como Funciona” para aprender tudo sobre o segundo pilar da fotografia!

Neste post, vamos te ensinar como dominar um dos 3 pilares da fotografia, a velocidade do obturador!

Se você acabou de começar a fotografar ou está precisando se aperfeiçoar, nunca é tarde para aprender essa técnica essencial.

Índice

  1. O que é um Obturador na Câmera Fotográfica?
  2. O que é Botão do Obturador?
  3. Quais as Funções do Obturador?
  4. O que é Velocidade do Obturador?
  5. Obturador Eletrônico x Obturador Mecânico
  6. ISO x Velocidade x Abertura da lente
  7. Efeitos com Obturador: Exemplos com Diferentes Velocidades
  8. Conclusão

O que é um Obturador na Câmera Fotográfica?

Sabe o momento em que ouvimos o famoso barulhinho “click” quando tiramos uma foto? Nada mais é do que o obturador da câmera em ação!

Por isso, quando comparamos uma câmera fotográfica a um olho humano, dizemos que a velocidade do obturador é como o tempo em que nossos olhos ficam abertos antes de piscar.

O processo de captura de uma foto funciona como a nossa retina, a imagem é captada pelo globo ocular e depois decifrada na retina, que representa o sensor da câmera dentro de nós.

O que é Botão do Obturador?

como ajustar a velocidade do obturador

O botão que aciona a captura da imagem é o que chamamos de botão do obturador.

O mecanismo é posicionado dentro da máquina, logo atrás da lente. Ele é formado por duas espécies de cortinas, uma delas se abre para captar a luz pelo tempo determinado previamente e a outra se fecha.

Por tanto, o botão é uma peça extremamente essencial na sua câmera e que merece muita atenção e cuidado. Existe um problema muito conhecido que pode afetar este mecanismo, o atraso de obturador.

Ele acontece quando há uma diferença muito grande entre o tempo de acionamento do botão e da captura da imagem pelo sensor.

Como resultado, esse problema pode fazer com que você perca aquele clique que dependia de um momento decisivo e único.

Quais as Funções do Obturador?

O obturador tem grande responsabilidade em dois aspectos da sua foto: a quantidade de luz capturada e quanto movimento é registrado.

Primeiramente, a luminosidade pode ser alterada pela velocidade, já que quanto mais tempo a “cortina” permanece aberta, mais luz ela captura. Por outro lado, se ela se fecha mais rápido, menos luz chega ao sensor.

Esse aspecto funciona em conjunto à abertura do diafragma e a sensibilidade ISO. Os 3 elementos dependem um do outro e precisam estar em harmonia.

Da mesma forma, a velocidade também influencia no quão congelado ou não o movimento da imagem ficará no clique final.

Quanto mais rápida a velocidade, menos luz você captura para o sensor, mas é possível capturar movimentos rápidos com muita precisão.

Por outro lado, velocidades lentas captam mais luminosidade, assim como movimento, o que pode até resultar em uma imagem trêmula caso você não utilize um tripé.

Tudo depende da foto que você imaginou obter, há sempre uma forma de compensar as falhas de uma técnica com outra para conquistar o clique que você sonhou!

O que é Velocidade do Obturador?

como ajustar a velocidade do obturador

Conhecida como um dos principais ajustes manuais da câmera, a velocidade representa quanto tempo o obturador fica aberto, captando a luz e os movimentos da imagem.

A velocidade do obturador é representada por uma fração, sempre com o número 1 em divisão. Ele representa um segundo completo, e os números embaixo são aqueles que dividem o segundo.

Quanto maior o número de divisão, mais rápida é a velocidade de captura, garantindo a captura de menos luz e o congelamento dos movimentos da imagem.

Por outro lado, quanto menor o número de divisão, mais lenta é a velocidade, o que resulta em uma imagem com mais luminosidade e movimento.

Vamos imaginar um cenário para entender melhor essas diferenças na prática!

Imagine que você está fotografando um jogo de futebol e resolve clicar um lance em que a bola está voando de um lado do campo para o outro.

Se você utiliza uma velocidade baixa, o sensor registra um certo trecho do percurso da bola, o que pode resultar em um traço mostrando o movimento da bola.

Ao contrário, uma velocidade alta “congelaria” a posição da bola no momento em que você apertou o botão do obturador, resultando em uma imagem mais precisa.

Velocidades do Obturador

velocidade do obturador

Cada valor de velocidade do obturador causa um efeito diferente na sua foto. Sendo assim, é importante conhecer o que cada um deles tem a oferecer para criar a imagem que você idealizou.

Podemos dividir as velocidades em 3 grupos diferentes:

Velocidade Alta

Em primeiro lugar, o que consideramos uma velocidade alta é o valor que transita entre 1/250 e 1/8000.

Números altos de velocidade resultam em uma abertura rápida do obturador. As consequências são baixa luminosidade e congelamento do movimento.

Este tipo de velocidade é recomendado para fotografia de objetos em movimento, quando há a intenção de congelar o movimento, como nos esportes de velocidade, por exemplo.

O ideal é que você utilize esta velocidade em um local bem iluminado ou compense a falta de luminosidade por meio dos ajustes de abertura e ISO.

Velocidade Média

Os números que representam a velocidade média variam entre 1/30 até 1/160.

Valores médios estão no que chamamos de “meio termo”, não garantem imagens completamente congeladas mas também não capturam movimentos completos.

Do mesmo modo, não registram uma quantidade imensa ou pequena demais de luz. Tudo fica bem equilibrado, dependendo do cenário que você fotografa.

Este tipo de velocidade é recomendado para clicar pessoas em ensaios fotográficos. Você terá a segurança de fotografar sem a necessidade de um tripé, mas ainda registrará algum movimento que deixa a imagem mais natural.

Se você fotografa em um lugar bem iluminado, poderá manter os ajustes de abertura do diafragma e sensibilidade ISO em valores médios também.

Mesmo assim, é importante sempre seguir as alterações que o ambiente indica, de acordo com a fotometria.

Velocidade Lenta

Os números que determinam a velocidade lenta começam em 1/25 e podem ir até múltiplos segundos, minutos e até mesmo horas!

Na velocidade lenta, o obturador permanece aberto por um longo período. Por tanto, o resultado é uma captura ampla da luminosidade e também do movimento que foi feito neste intervalo.

O grande risco de utilizar velocidades baixas é acabar com uma foto trêmula. Por isso, é recomendado utilizar um tripé ou alguma base de apoio firme para fotografar com números baixos.

Quando ultrapassamos a marca de 1 segundo e optamos por deixar o obturador aberto por minutos ou até horas, acontece o que chamamos de longa exposição.

Nessa técnica, a câmera precisa estar sobre uma base para evitar tremores e garantir a nitidez da imagem. Sendo assim, o movimento que ocorre por todo esse período é capturado e resulta em fotos de tirar o fôlego!

Tanto a longa exposição quanto outras velocidades baixas são recomendadas para fotos de paisagens, principalmente cachoeiras e o céu noturno, já que o movimento destes elementos rendem verdadeiras obras de arte.

Obturador Eletrônico x Obturador Mecânico

obturador e diafragma

Em algumas máquinas fotográficas, conhecidas como câmeras Reflex, há opção entre escolher o uso do obturador eletrônico ou mecânico.

Entenda como cada um dos sistemas funciona:

Mecânico

A obturação mecânica segue o tempo de exposição determinado pelo fotógrafo, abrindo e fechando as cortinas do obturador.

Sejam cortinas ou lâminas de metal, o obturador mecânico costuma reduzir o efeito de distorção que geralmente acontece nas extremidades de objetivas amplas.

Por outro lado, o barulho do clique costuma ser mais alto quando esta técnica é utilizada, o que não é indicado para fotografia de animais na natureza.

Eletrônico

O obturador eletrônico envia um comando para o senso digital, ativando-o pelo tempo de exposição que é determinado pelo fotógrafo.

Este sistema costuma alcançar números mais altos de velocidade, além de garantir um disparo bem mais rápido e preciso.

Enquanto o funcionamento do obturador mecânico pode gerar alguns ruídos e tremores, a obturação eletrônica não oferece nenhum destes riscos.

Central

O obturador central é um sistema raro, encontrado em pouquíssimas câmeras, mas é interessante conhecê-lo!

Ele é composto por lâminas giratórias que se abrem e se fecham de acordo com o tempo de exposição ajustado previamente.

Sendo assim, ele é mais preciso que ambas técnicas anteriores e ainda permite que o fotógrafo sincronize-o com um flash de alta velocidade.

ISO x Velocidade x Abertura da lente

Quando falamos sobre os 3 pilares da fotografia, automaticamente precisamos entender o que é a lei da reciprocidade.

A sensibilidade ISO, a abertura do diafragma e a velocidade do obturador são ajustes que dependem um do outro e precisam estar em harmonia.

Cada um deles tem uma forma de capturar mais ou menos luminosidade, além de alterar outros aspectos importantes da fotografia.

Sendo assim, os ajustes sempre dependem do tipo de imagem final que você idealizou. Entretanto, existem algumas regras básicas que podem te ajudar a entender a relação entre as 3 técnicas:

  • velocidade lenta + diafragma mais fechado ou ISO baixo;
  • velocidade alta + ISO alto ou diafragma mais aberto;
  • diafragma estreito + velocidade baixa ou ISO alto;
  • diafragma amplo + velocidade alta ou ISO baixo;
  • sensibilidade ISO alta + velocidade alta ou diafragma estreito;
  • sensibilidade ISO baixa + velocidade baixa ou diafragma amplo.

Que tal experimentar um pouco com essas regras básicas e descobrir os resultados que cada uma pode te proporcionar?

Efeitos com Obturador: Exemplos com Diferentes Velocidades

obturador fotografia

Agora que você já sabe tudo sobre as teorias da velocidade do obturador, chegou a hora de ver como ele funciona na prática!

Nós separamos alguns exemplos de velocidades que são utilizados pela maioria dos fotógrafos profissionais para clicar diferentes cenários:

1/8000 – Velocidade alta

Muito utilizada para registrar esportes, principalmente os que envolvem velocidade nos movimentos, os números altos garantem o congelamento da imagem.

É preciso ter cuidado para não obter uma imagem escura demais ao abusar da velocidade, tenha em mente os ajustes da abertura e do ISO.

1/160 – Velocidade Média

É recomendada para fotografar ensaios fotográficos, especialmente ao ar livre e quando há o intuito de capturar a naturalidade da modelo.

Velocidades médias não congelam a imagem, mas evitam tremores enquanto ainda capturam a fluidez do movimento.

1/30 – Velocidade Lenta

A luzes dos carros na cidade sempre são um objeto interessante de clicar com a velocidade lenta!

Devido ao fato de que a velocidade lenta consegue registrar o movimento das lanternas, a foto final fica com rastros de luz.

Não esqueça de levar um tripé para evitar tremores quando for se aventurar com velocidades mais baixas.

Longa exposição

Esta é uma das técnicas fotográficas que depende totalmente da velocidade de obturador. Geralmente, utiliza-se entre minutos e horas para clicar fotos deste estilo.

Belas imagens do trajeto das estrelas pelo céu noturno são os exemplos mais comuns da longa exposição.

Para deixar a velocidade tão baixa assim, é recomendado utilizar um controle remoto como acessório da câmera. O tripé também é indispensável neste caso!

Conclusão

obturador fotografia

Como resultado, você aprendeu que o grande ensinamento para fotografar como um profissional é pensar sempre na harmonia!

Os 3 pilares da fotografia precisam estar funcionando como um só para garantir um clique de qualidade para sua coleção.

A velocidade do obturador é a responsável por determinar quanta luz e movimento entram na sua imagem e isso pode mudar completamente o estilo de fotografia que você faz!

Leia também:

E você, está pronto para dominar todas técnicas de fotografia? Conte tudo para nós aqui nos comentários e não esqueça de avisar se ficou com alguma dúvida!

Escrito por Equipe Fotografia Mais

Equipe de Fotógrafos, redatores e designers responsáveis por conteúdos exclusivos e de alta qualidade sobre fotografia para o mercado brasileiro.

124 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Quero ser cadastrado na LISTA VIP